browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Red Bull Minas Riders: Dura lex, sed lex – Como um evento de magnitude mundial se transforma em uma ode à burocracia e falta de diplomacia

Posted by on 23/05/2017

“O piloto britânico Graham Jarvis evolui em sua moto no primeiro dia de competição do Red Bull Minas Riders”

O rally de enduro extremo Red Bull Minas Riders é a versão sul americana do Red Bull Romaniacs, o evento de enduro mais difícil do mundo. Esta foi a segunda edição esperando repetir o sucesso da primeira em abril de 2016, onde estrelas como Jarvis, Gomez e Bolton batalharam para superar a selva brasileira junto com os talentos sul americanos ao longo de 4 dias. Repare com atenção que essa não foi a primeira edição do evento, sendo que a de 2016 foi considerada um sucesso pelo publico e organizadores e foi realizada sem maiores problemas.

Mas esse ano infelizmente o Red Bull Minas Riders sofreu um duro golpe e precisou ser interrompido, cancelada a parte final do certame devido a problemas burocráticos e políticos que resultaram em uma medida liminar do Ministério Público, com uma ação da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar Ambiental que paralisaram a prova onde foi alegado que a prova poderia causar danos ambientais, colocando a empresa organizadora sujeita a receber multa de 100 mil reais por dia de descumprimento da liminar. Isso gerou manifestações diversas e publicidade quanto ao problema em canais de renome do mundo dos esportes e diversas comunidades na internet.

A Xventure, responsavel pela organização se manifestou por meio da declaração de Martin Freinamedetz organizador do evento: “Estamos há um ano conversando com todas as autoridades ambientais e definindo o trajeto da prova e temos autorizações de todos os órgãos responsáveis. Infelizmente, no último momento, a polícia pediu para fazer mais algumas análises de risco e optamos por cooperar e antecipar o final da competição já que os pilotos não podem aguardar”.

Mas o que mudou, motivou essa atitude na segunda edição? O que faltou em relação a primeira?

“Apetrechos colocados para a competição no entorno da praça (Divulgação/vereador Marquinhos do Esporte)”

Alem de muitas, mas muitas manifestações nos canais especializados offroad, motocross entre outros, todos contra o desfecho em relação ao evento e deixando explicitamente claro que é um absurdo, motivo de vergonha, resultado de uma ação desproporcional e sem embasamento a equipe do Diarios de Judith, resolveu ir um pouco mais fundo do que a pura (e justificável) indignação.

O fato é que o evento teve o destino selado por reclamação dos moradores da cidade, reclamações acatadas por seus representantes, vereadores como Marquinhos do Esporte do Solidariedade que protestaram e pediram providencias quanto a inúmeras peças colocadas na praça Tiradentes com o objetivo de montar obstáculos e coincidir com o evento Semana dos Museus, considerada uma importante data do calendário cultural da cidade, alem disso, o principal museu, Museu da Inconfidência, fica localizado na mesma praça.

Vereadora Regina Braga acredita que eventos como esse (na praça) trazem muitos transtornos à população (Divulgação/vereador Marquinhos do Esporte)

O vereador Marquinho do Esporte em nota divulgada por meio de rede social no dia 16 de maio cita:

“O Cartão postal da cidade é o Museu da Inconfidência e a praça está tomada pela estrutura do evento. Sou a favor do evento, mas ele deveria acontecer em outro local, pois é um acontecimento importante, que dará visibilidade a cidade, mas o local não foi escolhido adequadamente, causando transtorno no transito da cidade, riscos ao monumento da Praça, etc”

Na câmara a vereadora Regina Braga também fez comentários quanto ao fato:

“Hora nenhuma fomos contrários a esse evento em Ouro Preto, pelo contrário, quanto mais eventos desse tipo tivermos, que alavanquem nossa economia e turismo, melhor. O que questionamos é como esse evento com todo aparato dele foi realizado, na praça Tiradentes. (…)Esse tipo de evento traz muitos transtornos para os moradores de Ouro Preto e quem precisa passar pela praça”

Em resumo: O problema principal foi o fato da insatisfação dos próprios moradores quanto ao bloqueio da praça principal, insatisfação essa que se intensificou diante da inevitável interferência em um evento cultural local e dificuldade de acesso ao principal museu da cidade, isso em nossa opinião, apesar de grave não iria inviabilizar o evento, pelo menos não sua segunda parte, porem foi a fagulha necessária para acender uma fogueira bem mais densa, como reporta a publicação de www.sounoticia.com.br

Após a realização de uma das provas do Red Bull minas Riders na quarta-feira, 17, a Polícia Militar de Meio Ambiente esteve na Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Ouro Preto na tarde da quinta, 18 de maio, a fim de cobrar licenças ambientais para o evento. Afinal, na programação do campeonato as provas passariam por áreas de preservação, como o monumento natural Gruta Nossa Senhora da Lapa, localizada no distrito de Antônio Pereira e pela Área de Preservação Ambiental (APA) das Andorinhas.

De acordo com a polícia, nenhuma licença ambiental foi apresentada pela Secretaria de Meio Ambiente de Ouro Preto, nem pelos organizadores do evento. A polícia ainda alegou que houve degradação das trilhas e supressão da vegetação nas áreas pertencentes ao município de Ouro Preto.

Em resposta a cobrança do Ministério Público à organização do evento, os empreendedores alegaram que as trilhas do percurso foram sugestão da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que passariam pela zona de amortecimento da Floresta Estadual do Uaimii. A gerente do local também chegou a se manifestar contrariamente a passagem do evento pela floresta.

Na sexta-feira, 19, a polícia apreendeu motos de participantes do evento e o Ministério Público expediu um liminar exigindo a paralisação do evento no sábado,20. A organização do evento confirmou o cancelamento das etapas seguintes e antecipação da final.

De acordo com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Ouro Preto, todos os trâmites legais foram seguidos para a autorização do evento. “Para que fosse realizado na Praça Tiradentes, o Red Bull Minas Riders passou por diversos trâmites e seguiu a legislação que todo evento realizado na cidade precisa seguir, com aprovação da Secretaria de Cultura e Patrimônio e do IPHAN”, informou o órgão.

Conclusão:

Não nos parece “estranho” o desfecho apresentado, na verdade o mesmo apenas corrobora nossa opinião. Muitos eventos são realizados sem TODAS AS DOCUMENTAÇÕES NECESSÁRIAS, infelizmente em nosso pais temos a tendencia de ir ao caminho mais fácil devido simplesmente a ser EXTREMAMENTE DIFÍCIL se cercar e estar preparado para toda burocracia a qual iremos enfrentar. Você não vai a um local em especifico e pergunta “o que eu preciso para fazer tal evento”, você precisa peregrinar por diversas localidades e áreas de responsabilidades para literalmente TROPEÇAR com uma necessidade. Um documento de liberação protocolo MPPO-000988-73-0 ou um formulário AZUL autenticado em 10 vias e coisas desse tipo.

De forma clara,

Se não existisse o conflito com a Semana dos Museus, a indignação dos moradores poderia não ser suficiente para provocar tal mobilização. Se isso ocorresse, não iria haver mobilização de vereadores e afins, mas infelizmente isso ocorreu. Com isso, muita atenção foi chamada e desse momento em diante, documentos que “não eram importantes”, ou que então “não se preocupa com isso, ninguém pede isso” se tornaram de uma hora para outra… Indispensáveis.

E foi assim que um evento de magnitude mundial se transformou em uma ode à burocracia e falta de diplomacia. A unica ressalva é quanto a postura da REDBULL, em seu site e documentos oficiais apenas a informação de que o evento foi “antecipado”, comemoração do campeão e mais nada… Nem uma critica a cidade, governantes, legisladores e muito menos ao povo, sinal de respeito, ações comedidas, inversamente proporcional ao que nós lhe ofertamos.

Fonte:

a) Sou Noticia
b) Tulipa Rally
c) Redbull Minas Divulgação

Deixe uma resposta